Acne na mulher adulta: como tratar?

Entenda por qual motivo algumas mulheres desenvolvem espinhas após a adolescência e quais as melhores formas de tratamento para esta condição

Ter acne durante a adolescência é uma das coisas consideradas mais normais durante a vida. Mas o que surpreende muita gente, principalmente as mulheres, é o fato de surgirem as temidas espinhas durante a vida adulta. A condição conhecida como “Acne da Mulher Adulta” atinge cerca de 40% das mulheres brasileiras com mais de 25 anos, segundo um estudo realizado pela Universidade Federal de São Paulo. Mas, por que esta condição pode aparecer em momentos tardios?

A dermatologista Joana Barbosa, explica que essa é uma doença considerada diferente da Acne Vulgar, que são as espinhas comuns na adolescência. “A Acne da Mulher Adulta se caracteriza por um quadro de espinhas que surge após os 25 anos e tende a ser crônica, com períodos de exacerbação e melhora. Esta condição pode surgir ainda na adolescência ou começar com os sintomas apenas mais tarde”, completou.

Exatamente por ser um uma doença que aparece em momentos diferentes para cada mulher, a especialista ressalta a importância de frequentar o médico regularmente. “Apenas com avaliações prévias e identificação imediata dos sintomas podemos impedir o avanço do problema e evitar quadros mais graves para a pele. Além disso, apenas um profissional capacitado poderá indicar a melhor forma de tratamento e produtos necessários para cada tipo de paciente”, indicou.

Causas

Joana esclarece que as causas para esse transtorno ainda não foram completamente definidas. Mas um dos principais responsáveis são os andrógenos, também conhecidos como hormônios masculinos, que em conjunto com a oleosidade e algumas bactérias presentes no organismo auxiliam no surgimento da acne tardia. “A doença também pode estar relacionada com a genética, estresse, exposição ao sol, obesidade, alimentação, tabagismo, doenças endócrinas e outros fatores. Por isso, é tão importante a avaliação para entender as causas e encontrar o melhor tratamento”, finalizou.

Fonte: Joana Barbosa, médica dermatologista e membra da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). É responsável pela clínica Dermax, em Belo Horizonte (www.drajoanabarbosa.com).